Política

Congresso

Deputados de Maringá acreditam que Bolsonaro terá maioria na Câmara

Publicado por Luciana Peña/CBN Maringá, 12:01 - 29 de outubro de 2018

No dia seguinte à confirmação de Jair Bolsonaro (PSL) como presidente do Brasil nos próximos quatro anos, a reportagem da CBN Maringá conversou com os quatro deputados federais eleitos por Maringá para saber a opinião deles sobre o resultado das urnas. Todos eles concordam que Bolsonaro deve ter maioria na Câmara dos Deputados.


O Sargento Fahur (PSD), deputado federal que recebeu mais votos no Paraná, terá com certeza um bom relacionamento com o próximo presidente. Apesar de não ser do mesmo partido, Fahur fez campanha para Bolsonaro. O PSD de Fahur fechou com Bolsonaro no Paraná.


“Na campanha eu apoiei Bolsonaro e pretendo apoiá-lo durante o meu mandato. Nos primeiros seis meses todo governo nos tem um relacionamento muito bom com os deputados. Até porque ele tem respaldo popular. Então agora no primeiro semestre é hora de se aprovar medidas um pouco mais duras, um pouco mais necessárias, dar aquele ‘remédio amargo’.


Fahur é o único novato na Câmara entre os deputados eleitos por Maringá. Assim como metade dos eleitos para o Congresso Nacional, diz o deputado Ricardo Barros (Progressistas). Mesmo sendo cedo para avaliar como se comportará esse “novo Congresso”, a aposta é que haja cooperação.


O novo congresso tem 50% de parlamentares que estarão chegando. Portando não há ainda um perfil claro de como é o conjunto desse grupo que assume. Mas haverá uma cooperação, um respeito pela vontade do eleitor, que aprovou o programa do Bolsonaro e nós vamos tentar implementa-lo o mais rápido possível. Haverá com certeza uma cooperação dos partidos e uma solidariedade do Brasil. Para que a gente saia rapidamente dessa crise”, disse.


Na oposição, o deputado federal Enio Verri (PT) diz que a tendência é de apoio porque quem decide no final das contas é o “centrão”. “A maioria da Câmara dos Deputados, ou boa parte dela, é composta pelo chamado ‘centrão’. São deputados que não se posicionaram na campanha nem a favor de Fernando Haddad (PT), nem Bolsonaro. São deputados que sempre serão base do governo, independentemente de qual governo seja. (...) Então acredito que por essa postura histórica do Brasil, o Bolsonaro terá uma oposição. Mas ele terá uma ampla maioria de apoio para tocar as suas políticas”, afirma.


E no ‘centrão’ está o deputado Luiz Nishimori (PR), partido que não apoiou Bolsonaro no primeiro turno. Mas nem todos os parlamentares do PR concordaram com a direção do partido. Nishimori, por exemplo, articulou apoio para Bolsonaro.


“Antes da eleição tivemos mais de 150 deputados federais a favor do agora eleito e futuro presidente Bolsonaro. Acredito que dentro da bancada federal teremos uma grande maioria para futuro governo que vai se constituir agora. Todos irão trabalhar em prol do crescimento e desenvolvimento do Brasil”, declarou.


Ouça a reportagem completa no site da CBN Maringá.

Bloco de Imagem

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Compartilhe

Seja o primeiro a comentar sobre isso

* Os comentários são de responsibilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos do uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

voltar ao topo